A Irmandade da Misericórdia da Redinha vem por este meio, esclarecer todos os utentes, familiares e comunidade que, apesar do momento difícil que todos vivenciamos, devido ao COVID-19, a Instituição continua a laborar em prol da comunidade idosa.

De momento, reunimos condições para assegurar o serviço de alimentação, apoio na administração da terapêutica medicamentosa e aquisição de bens de primeira necessidade, e, em caso de inexistência de rede de suporte familiar e/ou grau de dependência significativo, garantimos ainda, os cuidados de higiene pessoal.

E como todos sabem, Portugal encontra-se em Estado de Emergência e por forma a que, possamos salvaguardar o bem-estar, tanto das colaboradoras como dos utentes e respetivas famílias, relembramos algumas medidas e informações:

  • Se está contaminado com coronavírus (ou em situação de vigilância ativa por decisão da autoridade de saúde) não pode deslocar-se à rua, pois fica imposto o isolamento obrigatório (no hospital ou em casa);
  • Se tem mais de 70 anos é um grupo de risco e por isso, é imposto um dever especial de proteção e não é aconselhado a sair de casa (se necessita de bens de primeira necessidade, contacte-nos através de 925 985 515 ou 236 911 136);
  • Se é familiar e tem dúvidas se pode continuar a trabalhar, sim pode, mas deve ser privilegiado o teletrabalho;
  • Tem filhos (crianças) e não sabe se pode ir à rua com eles, pode para acompanhamento de menores em períodos de recreação ao ar livre de curta duração, ainda que deva manter-se o maior tempo possível em casa;
  • Se partilha guarda do(s) seu(s) filho(s) também pode sair de casa, ao abrigo da assistência à família;
  • Qualquer caso que se considere assistência a familiares é permitido;
  • Se tem cão pode continuar a deslocar-se com ele à rua, mas o passeio deve ser de curta duração;
  • Se pretende ir ao banco, também é possível, mas atenção que a Caixa de Crédito Agrícola da Redinha, se encontra encerrada e por isso, deve dirigir-se a entidades bancárias em Soure ou Pombal;
  • Tem por hábito correr, pode continuar a fazê-lo, mas deve correr sozinho e por um período curto de tempo;
  • Se pretender um serviço disponibilizado pelas Lojas de Cidadão, estas encontram-se encerradas;
  • Se gostava de ir passear de carro, não deve fazê-lo, pois só deverá conduzir com o fim de adquirir bens de primeira necessidade, ir ao banco ou deslocar-se para o seu trabalho;
  • Se pretende ir a um centro comercial, o mesmo irá encontrar-se encerrado, à exceção de supermercados e quiosques;
  • As padarias, mercearias e farmácias continuarão abertas;
  • Se gostaria de encomendar comida, o mesmo continuará a ser permitido, em virtude dos estabelecimentos de restauração se encontrarem fechados somente para o atendimento direto ao público;
  • Se pretende ir ao supermercado, poderá continuar a fazê-lo, mas deve respeitar os limites de número de pessoas dentro do estabelecimento e recorrer a novas formas de compra mais protegidas, como por exemplo, por postigo ou à porta;
  • Se deseja ir a um funeral é possível, ainda que, com limitações para evitar aglomerados de pessoas;
  • Se gostava de ir à missa, as mesmas estão proibidas;
  • E se não respeitar estas medidas? As autoridades farão uma fiscalização pedagógica.

Posto isto, reitera-se a necessidade dos utentes, familiares e comunidade Redinhense respeitar estas medidas, bem como divulgá-las, pois está a proteger-se a si, aos seus e a toda a comunidade.

Por si e pelos outros, subscrevemo-nos com os melhores cumprimentos, convictos de que, juntos poderemos ultrapassar esta fase com o menor número de casos de COVID-19.

Contamos consigo!